MULHERES INSPIRADORAS

Outubro é um dos momentos mais significativos para nós. O ano todo falamos sobre o feminino, mas nesse mês queremos inspirar você a ser a sua melhor versão, a levar a vida com mais leveza e a se cuidar, sempre, muito. Para isso, escolhemos falar sobre algumas mulheres que nos inspiram e que com certeza irão inspirar você também!

Crédito: Site Good house keeping

MICHELLE OBAMA

Michelle Obama se consolidou como uma das mulheres mais icônicas e cativantes de nosso tempo. Acessível, dona de opiniões fortes, de um currículo invejável e ativa em causas sociais, ela é a representação perfeita do que significa ser mulher nos dias de hoje.
Como primeira-dama dos Estados Unidos, a primeira afro-americana a ocupar essa posição, ela ajudou a criar a mais acolhedora e inclusiva Casa Branca da história. Ao mesmo tempo, se posicionou como porta-voz das mulheres e meninas nos Estados Unidos e ao redor do mundo, mudando a forma como as famílias levam suas vidas em busca de um modelo mais saudável e ativo através de iniciativas como sua proposta para uma alimentação melhor nas escolas e a implementação da primeira horta da Casa Branca.
Trabalhadora, independente, mãe dedicada, Michelle demonstra ser sempre fiel à sua personalidade e ter um ótimo senso de humor (além de um guarda-roupa impecável!). Ela é, acima de tudo, uma mulher com alma, paixão e consistência que desafia constantemente as expectativas nos inspirando a fazer o mesmo.

Crédito: Divulgação Editora Sextante | Programa Altas Horas

DAIANA GARBIN

A jornalista iniciou sua carreia como locutora de rádio aos 18 anos e já aos 24 iniciou a carreira em televisão. Foi repórter, editora, produtora e apresentadora e durante oito anos trabalhou como repórter na Rede Globo em São Paulo.
Por trás de uma carreira promissora e de currículo de dar inveja no entanto, Daiana escondia algo que ninguém sabia: ela enfrentava um transtorno alimentar e de distorção de imagem, uma questão psicológica diretamente ligada à forma como ela via seu corpo e como lidava com a sua alimentação. Sentindo-se aprisionada no seu corpo e percebendo que a comida mandava em sua vida, ela buscou auxílio profissional com o apoio de sua família.
Lidando com todas essas questões Daiana se sentiu impulsionada a compartilhar esse assunto, tão difícil de ser abordado. Assim, ela criou uma rede de apoio com referências em diferentes Estados para ajudar gratuitamente ou a preços acessíveis quem passa pelos mesmos problemas que ela já enfrentou e segue discutindo a importância de desenvolver autocompaixão e auxiliando na compreensão desses transtornos que muitas vezes não parecem ter a dimensão que eles têm. Uma inspiração para olharmos pra nós mesmas com mais carinho e cuidado.

Crédito: Revista ID

GRETA THUNBERG

Com apenas 16 anos a estudante Greta Thunberg prova que não importa a sua idade, você pode sim ser a mudança que você quer ver no mundo. Ela se tornou conhecida no ano passado por sua iniciativa em relação às mudanças climáticas. Logo a jovem chegou às manchetes pelo seu movimento #FridaysForFuture (#Sextas-feirasPeloFuturo), que consiste em fazer greve escolar às sextas-feiras, em frente ao parlamento, até que o governo sueco tome medidas mais assertivas sobre as mudanças climáticas.
Aos 15 anos, a sueca mobilizou mais de 1 milhão de pessoas a fazerem greve em prol da conscientização sobre mudanças climáticas em todo o mundo e foi indicada ao Nobel da Paz. Ela nos chama a atenção para um problema grave sobre a conservação do mundo em que vivemos e como daqui a alguns anos isso não será mais possível.
A jovem tem síndrome de Asperger, um transtorno que afeta a forma como as pessoas percebem o mundo e interagem com outras pessoas, um dos motivos pelo qual Greta se interessou tanto pelas questões climáticas. Ela enxerga a síndrome como um “super poder” e afirma que ser diferente é o que a torna especial.

Crédito: Daniele Amaral

DANIELE AMARAL

Aos quatro anos de idade, em um dia que parecia ser apenas mais um dia de brincadeiras, Daniele perdeu seus braços em um acidente com um maquinário agrícola enquanto seu pai trabalhava. O que poderia ser uma tragédia no entanto, se transformou em uma história inspiradora: hoje, a jovem de 25 anos reflete sobre como a taxa de sobrevivência a esses incidentes são pequenas e como a perda dos braços salvou sua vida.
A perspectiva de uma criança que teve que reaprender a fazer tudo de uma maneira diferente não deu espaço para que Daniele se tornasse uma vítima do que vivenciou, mas sim, uma nova visão da própria vida. Logo, o desejo de falar com mais pessoas e inspirá-las surgiu e mais tarde resultou na criação do seu canal no Youtube. Seu envio mais famoso, um vídeo dela finalizando os cabelos cacheados com os pés, foi fruto de um conselho que ela mesma já dava em suas palestras de “fazer o melhor com o que se tem”.
Ela fala de como os limites são impostos por nós mesmas e como não devemos focar naquilo que não conseguimos fazer e sim nas nossas habilidades. Em seu canal, ela aborda temas relevantes, sem levar muito em conta o fato de não ter os braços. Como inspiração para milhares de pessoas, ela surpreende pela sua independência e nos ensina que os problemas da vida podem ser superados com muita persistência, coragem e amor.

Deixe uma resposta

Você precisa fazer login para publicar um comentário.